Exposição: Sérgio Perilhão, a Fé, a Emoção e a Tradição


Data: De 18-08-2017 a 31-12-2017
Hora: Todo o dia
Local: Palácio do Infantado, Samora Correia
___________________________________


Natural e residente em Samora Correia - nasceu em 9 de novembro de 1945, no n.º 140 da Avenida “O Século”, filho de campino, manteve desde a infância contacto com o campo e com as festas tradicionais da região. Curioso, exigente e perspicaz torna-se num exímio conhecedor de antigas vivências associadas ao touro, ao cavalo e ao campino. Era presença assídua em inúmeras Festas tradicionais, não apenas na sua terra, mas também em muitos outros locais do Ribatejo, contribuindo para a sua divulgação e engrandecimento. A paixão pela Festa Brava e o gosto pela escrita levam-no a colaborar com diversos jornais e revistas, assumindo a crítica taurina entre outros artigos de opinião. Colaborou com a revista “Novo Burladero”, publicação de referência sobre atividades taurinas.



Lançamento do livro "Campinos - Apontamentos de Sérgio Perilhão", edição da Câmara Municipal de Benavente

Sérgio Perilhão foi um Homem de Fé, de memórias e de tradição, que revelou de forma única a identidade e o espírito de ser ribatejano. Foi alguém que viveu intensamente todo o universo associado à lezíria e à charneca e teve a capacidade e o talento para transmitir essas vivências tão genuínas. Ao longo da sua vida foram surgindo as oportunidades de registar os momentos, as histórias e as pessoas que partilhavam consigo essa grande paixão pelo campo, pelas lides de toiros e pela sua terra, Samora Correia.
Sentia a lezíria e a charneca numa união plena com as suas gentes, e foram estes testemunhos que nos deixou em histórias que foram sendo publicadas e partilhadas connosco ao longo dos anos. A edição que agora apresentamos, “Campinos, Apontamentos de Sérgio Perilhão”, integra um conjunto de textos publicados nos programas das Festas em honra de Nossa Senhora da Oliveira e Nossa Senhora de Guadalupe em que os campinos são, indiscutivelmente, a figura central.
Esta edição pretende garantir que o trabalho realizado por Sérgio Perilhão de forma tão intensa, evidenciando as memórias e as tradições que contribuem inequivocamente para a identidade de um povo, possa prevalecer no tempo. E este é com certeza o nosso grande propósito.